[Vida Mochileira] Uma vez me disseram que eu era louco…

Sensacional o texto do Mauro Brandão! Poderiam existir mais pessoas assim como ele no mundo! #FicaDica de inspiração! Boa tarde e bom fim de semana!

Anúncios

Pelos finais felizes

FelicidadeEu tenho observado em muitos textos – inclusive nos meus – de livros, revistas, contos e afins que as pessoas sempre querem um final feliz. É engraçado, pois até mesmo aquela pessoa mais sombria, solitária, cria um final feliz, mesmo que da sua maneira.

Eu as entendo. É simplesmente a lei da Vida. Independente da sua religião, credo, filosofia de Vida, vamos sempre desejar um final feliz para qualquer coisa que escrevermos, pois é assim que nos enxergamos no futuro.

Querer um final feliz, é isso. Independente de quão magoado seja seu texto, triste, frio, cruel… Independente disso, pelo menos uma vez passou na sua cabeça tornar o final da(s) personagem(s) feliz. E isso não é ruim, acredite. O seu texto não vai ser bom devido ao seu fim clichê ou não. Porque a felicidade é o que almejamos e até pode parecer clichê… Mas se for bom o seu desenvolvimento, sua tese, seu livro vai vender.

Por isso, não tenha medo de arriscar em finais felizes. Os tristes são diferentes e mostram um lado subjetivo do ser humano, mas o feliz, sim, é o que desejamos. Isso é lei. Vamos escrever finais felizes, mas não clichês. Aqueles finais em que a pessoa luta muito para conseguir o que quer – e quem disse que final feliz é sinônimo de beijo na boca ou casamento?

Fica a reflexão de hoje, esse só é mais um pensamento que me incomoda.
Boa quinta-feira!
Thamires.

Reflexão do dia: Escute a Vida.

Às vezes, nem percebemos quantas coisas boas estão na nossa volta. Vivemos reclamando, ignorando as belezas da Vida. Depois não sabemos porque não somos felizes. Nesta terça, eu te aconselho uma coisa: Escute a Vida. Observe o mar. Saia de casa de bicicleta, moto, carro ou – porque não? – a pé e corra atrás de seus sonhos. Chegou o momento. Chega de sentir o vazio, chega de reclamar e ignorar as belezas. Vamos viver, vamos escutar, vamos parar para pensar, vamos refletir e vamos amar. Assim, vamos ser muito, muito mais felizes.

Thamires Coelho

Existe idade certa para se casar?

Alguns dias atrás, eu pude “presenciar” algo que me deixou um tanto chocada: um amigo virtual meu dizendo que casou aos 21 anos com uma menina de 15. Bem, isso é realmente assustador – na minha humilde opinião – e pode até parecer algum tipo de pedofilia, mas não é. Em algumas regiões do país, como no Nordeste, é bem normal casar nessa idade.

Casamento

Existem vários motivos para se casar, mas como não pesquiso muito sobre esse fenômeno que é o casamento e ainda não sou casada, não posso dissertar sobre fatos comprovados. O que eu percebi é que envolve muito a questão cultural: Para alguns, o matrimônio é a forma de estar junto “até que a morte os separe” de quem se ama, de ter uma vida de luxo, ou apenas se unir por comodidade. Para outros, já é mais que isso: é sobreviver, como nos casos das pessoas muito pobres, que só vêem solução no casamento, mas isso não quer dizer que o mesmo não foi resultado do amor dos pombinhos também.

Compromisso

Uma das coisas que me preocupa é o casamento irresponsável. Eu percebo que atualmente a humanidade está muito despreocupada com a Vida, certamente porque já está com o “futuro garantido”. Parece que pensamos menos e agimos mais, de tal forma que somos convencidos (por nós mesmos) a agir impulsivamente. Eu não vejo nada demais em ter um casamento, mas, em minha opinião, casar-se é algo a mais em um relacionamento, que exige muitas, muitas, muitas responsabilidades. Algumas pessoas pensam diferente ou simplesmente ignoram tais fatos e os votos no altar passam vagamente em seus pensamentos. Esse ato despreocupado de casar-se, esquecer-se dos votos ou não casar por amor é causador de lares infelizes, mulheres e homens traídos sem saber o porquê e um terceiro membro na nova “família” que chega de forma precoce: um filho.

Às vezes, eu me pergunto: Qual a necessidade de casar-se tão cedo? Será que as pessoas estão só “garantindo o seu”? Eu me pergunto o que a menina de 15 anos deixou de fazer porque é casada hoje, como terá sido sua “juventude”? E eu realmente não consigo chegar a uma resposta objetiva. Todos nós somos livres para fazer escolhas, mas, por favor!, conscientes e bem pensadas!! Eu pretendo me casar quando me sentir pronta, amar alguém de verdade e enxergar um futuro seguro com esse alguém – independente da minha idade. Sei que parece clichê demais, mas não há necessidade de adiantar algo que mais tarde poderá só trazer sofrimento, porque alguma das partes do casamento não curtiu o suficiente.

Casamento

Então, se for se casar, tenha consciência, ame, estude, conheça a pessoa. Tenha um casamento inteligente e feliz, fora isso, não há idade certa para casar, basta sentir-se pronta (o) de forma consciente, sim?

Gentileza gera gentileza

Gentileza gera gentileza. Só não percebe isso, quem não quer!

Gentileza

Eu estava procurando coisas interessantes para ler no site MdeMulher e então parti para a sessão de Bem-Estar e li uma matéria que chamou minha atenção: 44 gestos de gentileza. Depois de ter lido e raciocinado sobre a matéria, eu fiquei pensando em como nós, seres humanos, somos egoístas. E, sinceramente, espero que mudemos, que nos tornemos melhores. Não é bem a “olho por olho” que as coisas funcionam.

Gentileza

Sim, nós podemos ajudar alguém que está carregando sacolas. Sim, nós podemos elogiar alguém, só para este sentir-se querido, amado, importante. Sim, nós podemos salvar o cachorro que caiu no meio do esgoto e, sim, nós podemos nos doar um pouco aos outros antes de pensarmos em nós mesmos.
Eu sei, é complicado simplesmente começar a agir dessa forma gentil de um dia para o outro, mas as coisas não precisam ser radicais. E, com certeza, sendo gentil você se sentirá quase um humanitário, contribuindo para a felicidade alheia e para uma vida mais harmônica em sociedade.
Sabe, às vezes, só de pensar em ajudar os outros já ganhamos nossa recompensa. Mas isso não significa que sendo gentil você deva esperar algo em troca. É mais que isso. Chega a ser um estado espiritual até. Sendo gentis, nós simplesmente não sabemos o que Bem que podemos fazer a um ser, porém sabemos que estamos o fazendo. E de boa vontade.

Seja gentil!

Eu realmente admiro uma pessoa assim. E aspiro por isso também. É ótimo ver aqueles olhos bondosos, sempre prontos, estendendo um pouco de gentileza. Aumentando a corrente. Essa corrente boa e prazerosa ao mesmo tempo, que satisfaz tanto quem recebe uma gentileza quanto quem a pratica. Sei que essa palavra em nosso “mundo moderno” está quase extinta. E é quase um horror quando um homem se levanta e abre a porta do carro para deixar sua mulher sair, ou quando um amigo acompanha o outro até a porta e corre na frente para abrí-la. Mas precisamos exercitar isso. Gentileza está além de todas as coisas: é amar sem preconceitos, não julgar os outros sem conhecê-los bem – ou melhor – NÃO JULGÁ-LOS, é elogiar as pessoas, acreditar no potencial dos outros e ser humilde. Gentileza é você querer agradar alguém que ame sem esperar nada, ou simplesmente agradar um desconhecido na rua. Gentileza gera gentileza. Vamos nos esforçar e praticar isso, vamos ser mais felizes!

Espero que leiam a ótima matéria da MdeMulher! Um abraço a todos, sejamos gentis!

Enfim, férias!

Hoje estou particularmente feliz! Último dia de exame e, apesar de estar um pouco insegura, terei férias escolares.
Sei que continuarei trabalhando, mas é um alívio. Finalmente.

Sinto um verdadeiro sentimento de liberdade, porém relembro-me com uma exagerada dor que ainda tenho mais um ano letivo pela frente – atrasado pela greve dos professores federais. Não os culpo. Apesar de acreditar que foram um pouco egoístas, estavam “lutando” por seus direitos.

Viva cada momento, aproveite a "liberdade".

Viva cada momento, aproveite a “liberdade”.

Mas, ahhhh… Férias. Férias escolares. Praia e dias e dias na frente do computador, jogando um jogo “RPG” que para uns é considerado um lixo. Faz parte.
Mas continuo imensamente feliz.

Finalmente, finalmente, finalmente.
Férias, sua mimosa.

Poderei tirar as fotos da minha amada cidade, que no verão se torna fantasma, principalmente nos fins de semana. É assustadora e bela ao mesmo tempo!
Não tem como não sorrir.

Em breve postarei as fotos aqui ressaltando as melhoras coisas de Rio Grande.
Boas férias!