Amigas para sempre – Sobre amizades verdadeiras

Finalmente tive uma pequena folga do meu “TCC” e pude escrever algo! Ufa! Achei que eu mesma iria me crucificar por isso. Ficar um bom tempo sem atualizar o blog é horrível. Mas, vamos ao que interessa.

Eu estive pensando, nos últimos dias, o que significa dizer nós somos “amigas para sempre”. Afinal, amigas, segundo o site Significados.com.br, são aquelas pessoas que mantêm um relacionamento de afeto, respeito e consideração. Além disso, são pessoas que zelam pela segurança e bem-estar uma da outra e não necessariamente precisam se conhecer há muito tempo.

Uma amizade, basicamente — agora de acordo com minha vivência, não pelo site de significados — existe quando ambas as partes possuem afinidades e interesses em comum. E, quando não possuem, respeitam os interesses uma da outra. Amigas não precisam ter a mesma opinião sobre determinado assunto, elas podem debater, afinal, não são seres iguais. São como irmãs, sim, pois confiam cegamente uma na outra. Amigas tem coragem de se contar segredos que — talvez — não diriam para suas mães.

Amizade

É com sua amiga que você vai falar, no começo de namoro, das qualidades de seu namorado, independente se essas qualidades sejam elogios ou resmungos. Não importa. É com ela que você vai falar. É com sua amiga, também, que você vai chorar se ele te deixar um dia — e ela, provavelmente, vai fazer de tudo para que você volte a sorrir o seu sorriso lindo.

O problema é que percebo que algumas pessoas se autointitulam “amigas para sempre” e não fazem por onde. Dessa forma, acham que — só por serem amigas há 8 anos — a amizade nunca vai morrer e essa amizade é verdadeira. Sabe de uma coisa? Eu percebi muito disso vivendo essa realidade. E posso dizer com toda a firmeza que, sim, sua amizade vai morrer se você não cuidar. Se não preservar. Porque, cá entre nós, amiga,  independente dos 8 anos juntas, uma hora a vida separa e, se você não for atrás, adeus, amizade.

Mas, não, eu não estou sendo dura demais. Entretanto, posso afirmar com toda a certeza que já perdi amizades assim. Amizades, inclusive, que achei que durariam a vida inteira. Amizades que foram significativas para minha vida, mas que, com o tempo — ah! santo tempo! — foram se desgastando por comodidade e falta de interesse. Talvez, eu mesma não tenha sido uma boa amiga. Mas tentei. Ah! Se tentei…

Sinceramente, eu me questiono se um dia eu tive uma amiga verdadeira? Porque, sim, é difícil dizer quem é o que aqui. “Amigas para sempre” e “amizade verdadeira”, infelizmente, não é a mesma coisa. Você pode ser amiga para sempre de alguém e nunca ser uma amiga verdadeira. Ou, ao contrário. Porque uma amizade verdadeira não precisa ser para sempre.

Ainda assim, me incomoda o pensamento de que algumas pessoas simplesmente abandonam amizades por preguiça ou outros interesses. Acho que a ideia de que a outra estará sempre ali “acomoda” a amizade. Quer saber? Acho isso o cúmulo do egoísmo!

Então, se sua amizade anda assim, é bom rever conceitos. Você pode se decepcionar — talvez por perceber que nunca teve uma amiga verdadeira — ou, que bom! — continuar essa amizade. Quem sabe? Só não se esqueça o que é ser amiga independente de qualquer coisa. Ah! E cuide dessa amizade também.

Quem escreve?

Thamires Coelho, 18 anos, Rio Grande do Sul. Eterna estudante da Vida, caçadora de conhecimento, idealista, impulsiva, apaixonada e desorganizada. Adoro escrever e dar meu pitaco na conversa dos amigos! No twitter, sou a @thamirescb_.

Hoje é dia do amigo. Você sabe porque?

Bom dia, leitores! Hoje quero falar sobre um assunto bem interessante: 20 de julho, o dia do amigo (pelo menos aqui no Brasil).

Mas porque o dia do amigo é comemorado hoje? Qual sua origem?
Vamos descobrir agora!

O dia do amigo é comemorado dia 20 de julho devido a pisada do homem na Lua. Como assim? Que *&@#@! é essa? É simples: Enrique Ernesto Febbraro, um argentino, vendo que teoricamente o homem pisou na Lua no dia 20 de julho de 1969 teve a alucinante ideia de enviar 4.000 cartas para diversos países em inúmeras línguas alegando que “se o homem conseguiu unir-se aos seus semelhantes (extraterrestres?) nada, realmente, era impossível”. Louco, não? Em outras palavras: o sujeito queria tanto implantar o dia do amigo, ou da amizade mundialmente, que aproveitou a deixa da (suposta) “pisada do homem na Lua” para instituir o dia do amigo.

(Aí eu me pergunto: Estamos comemorando o que? Ou melhor, pelo que?)

Enfim, um pouco mais de História: muito antes da célebre ideia de Febbraro, a Cruzada Mundial da Amizade, em 1958, já havia suposto a criação desse dia, porém nomeado Dia da Amizade. Pequena explicação do Wikipédia:  “Foi uma campanha em favor da valorização e realce da amizade entre os seres humanos, de forma a fomentar a cultura da paz. Foi idealizada pelo médico Ramón Artemio Bracho em Puerto PinascoParaguai em 1958. A partir desta ideia, se fixou o 30 de julho como Dia da Amizade.” 

Interessante, né? Atualmente, o que a ONU reconhece como Dia Internacional da Amizade é esse mesmo dia, 30 de julho, pois considerou os argumentos da Cruzada Mundial da Amizade válidos. Bom, segundo as fontes, os votos foram unânimes para a data comemorativa ser nesse dia, além disso da Assembleia participaram 43 países.

Mas, afinal, o que eu quero com esse post? (Não, não é acabar com a sua comemoração com seus amigos!)

  • Primeiro, eu quero dizer que comemoramos essas datas, muitas vezes, sem saber o porquê. Isso é ruim? Não, não é. Mas nos torna alienados dentro da nossa própria cultura.
  • Segundo, que o homem NÃO pisou na Lua! Foi uma jogada dos Estados Unidos durante a Guerra Fria contra a União Soviética para mostrar para a mesma que esse possuía mais tecnologia, logo, ganharia a “corrida espacial”. Além disso, na guerra entre EUA x URSS o cenário era de medo e rivalidade. Como este louco, Enrique Febbraro, pode ter pensado em um dia do amigo logo nesse cenário? (Essa resposta é de vocês)

Basicamente, é isso. Mas só quero dar umas últimas palavras antes de você fechar meu blog: O dia do amigo não é 20 de julho, seja lá por qual razão, não é 30 de julho, porque a ONU quis assim e não é nenhum outro dia específico. Como podemos delimitar esse dia? É a mesma coisa que delimitarmos o Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia da Avó, Dia Internacional das Mulheres… Eu não discordo de nenhuma dessas datas, nem quero lhe persuadir… Só penso que temos que ter consciência que esses dias, além de comerciais, muitas vezes, tem origem que não conhecemos e tampouco concordamos.

Então, vamos pesquisar mais?

Amigos

Fonte: We heart it.

Um abraço a todos. E viva o dia do amigo.
Que é todos os dias.

Fontes de pesquisa: Wikipédia, O Candelabrado, aulas de História do cursinho: Teorema/RG.