Amar-se em primeiro lugar!

Pensando na Vida e nos últimos fatos que me aconteceram ontem, anteontem – e que também acontecem a cada minuto, pois sou uma “metamorfose ambulante” – pude perceber o verdadeiro valor de se amar SEMPRE. Parece fácil para mim falar isso agora, pois provavelmente não sou alguém com o coração partido (mas, acredite, já tive o meu muitas vezes! E sobrevivi) mas posso dizer que pela minha experiência vale e valerá always se amar.

É que chega um momento em que é necessário tomar uma decisão, ou eles, ou eu, e aí é que se percebe que, “- adeus, galera! Eu quero é ser feliz”. Pois é, não são todos que pensam assim, mas vou dar algumas dicas para você que está se sentindo triste, deprimido, sem vontade de viver *porque ninguém gosta de mim* ficar mais alegre. Vamos lá? Hora de ser feliz!

1. Não desconsidere as opiniões alheias, apenas as compare com as suas e se elas divergirem e você não levar fé simplesmente esqueça.

2. É difícil se amar quando está infeliz com seu corpo, com seu rosto. Mas, pensa bem. Pese na balança o que tem mais importância para si e, sim, viva do seu jeito fucking the system.

3. Perceba que, muitas vezes, você se doa mais que o necessário. Não que precisamos agir como Talião, que pregava olho por olho, dente por dente. Mas po, pera aí. Você se “matando” por alguém e essa pessoa nem aí? Pera aí! Pare tudo e conversem. Não deu certo? Siga! A sua felicidade está em primeiro lugar.

4. Ame-se! Afinal, se você não o fizer, quem fará? Eu gosto de acreditar que temos que fazer tudo que desejamos e, claro, ou infelizmente, respeitando a opinião dos outros. Equívoco aqui: respeitar a opinião dos outros não é deixar de fazer algo porque eles não querem ou não acham certo! Faça tudo o que pode você quiser fazer – dentro dos nossos limites de liberdade no Brasil – e seja muito, mas muito feliz.

5. Viaje. Leia um livro. Mate uma aula. Fuja das regras e da rotina! Fazer o que não gostamos e – pior ainda – fazer coisas sem saber o motivo é horrível. Sempre questione-se, sempre. Só cuidado com a paranoia, haha.

E só para concluir: não coloque muitas expectativas em cima de alguém. Eu sei que é horrível, eu odeio sites que ficam dizendo como agir, mas aqui é só uma dica, se quiser, tente aprender por si mesmo, talvez seja melhor. Outro detalhe aqui: se amar é se aceitar, reconhecer seus erros, viver. Se amar é colocar-se em primeiro lugar, fazer o que tem vontade, viver a SUA Vida.

Por hoje é esse “conhecimento” que venho compartilhar!
Viva, não sobreviva!

Anúncios

Viajar muda vidas

Viajar

Viajar muda vidas, não dá para negar. É good vibe, é energia boa, é felicidade. Não há como viajar, entrar em contato com a natureza, e não se sentir feliz nem que seja por pelo menos um minuto. Ver um monumento histórico, conhecer, aprender, viver a história de uma civilização, e não sentir os pelos se arrepiando, o cérebro querendo conhecer mais, a vida te implorando: vá, viva.

Viajar é uma arte. Certo que sim. Viajar muda vidas, renova valores, descobre e redescobre conceitos. Viajar é tão prazeroso (se não mais) quanto sexo, é algo transcendental, intangível.

Só sentindo, respirando, enxergando… Só assim, se envolvendo com a natureza no emaranhado da floresta, provando sabores, vivendo dores, saboreando os amores, que conseguimos viajar. É lindo! Aliás, não existe um substantivo que possa abranger o significado de viajar.

Por isso, não pense duas vezes. Vá. Siga em frente e VIVA o seu sonho, acorde para a beleza que está na sua cara: a Vida. Não desperdice oportunidades e não pense duas vezes em desistir de algo por uma viagem – se a mesma PUDER se realizar. Viagens incertas devem ser descartadas, arriscar o certo pelo duvidoso nem sempre é a melhor coisa.

Enfim, fica a mensagem: Viaje, viaje, viaje. Viaje pois o dia só tem 24 horas que quando são vividas intensamente tem um significado e uma importância muito maior na nossa vida. VÁ.

——————————————————————————————————-

Um site que indico, com muitas dicas, relatos, roteiros de viagem é o Mochileiros.com. Vale a pena! Um abraço!

Thamires Coelho.