Hoje é dia do amigo. Você sabe porque?

Bom dia, leitores! Hoje quero falar sobre um assunto bem interessante: 20 de julho, o dia do amigo (pelo menos aqui no Brasil).

Mas porque o dia do amigo é comemorado hoje? Qual sua origem?
Vamos descobrir agora!

O dia do amigo é comemorado dia 20 de julho devido a pisada do homem na Lua. Como assim? Que *&@#@! é essa? É simples: Enrique Ernesto Febbraro, um argentino, vendo que teoricamente o homem pisou na Lua no dia 20 de julho de 1969 teve a alucinante ideia de enviar 4.000 cartas para diversos países em inúmeras línguas alegando que “se o homem conseguiu unir-se aos seus semelhantes (extraterrestres?) nada, realmente, era impossível”. Louco, não? Em outras palavras: o sujeito queria tanto implantar o dia do amigo, ou da amizade mundialmente, que aproveitou a deixa da (suposta) “pisada do homem na Lua” para instituir o dia do amigo.

(Aí eu me pergunto: Estamos comemorando o que? Ou melhor, pelo que?)

Enfim, um pouco mais de História: muito antes da célebre ideia de Febbraro, a Cruzada Mundial da Amizade, em 1958, já havia suposto a criação desse dia, porém nomeado Dia da Amizade. Pequena explicação do Wikipédia:  “Foi uma campanha em favor da valorização e realce da amizade entre os seres humanos, de forma a fomentar a cultura da paz. Foi idealizada pelo médico Ramón Artemio Bracho em Puerto PinascoParaguai em 1958. A partir desta ideia, se fixou o 30 de julho como Dia da Amizade.” 

Interessante, né? Atualmente, o que a ONU reconhece como Dia Internacional da Amizade é esse mesmo dia, 30 de julho, pois considerou os argumentos da Cruzada Mundial da Amizade válidos. Bom, segundo as fontes, os votos foram unânimes para a data comemorativa ser nesse dia, além disso da Assembleia participaram 43 países.

Mas, afinal, o que eu quero com esse post? (Não, não é acabar com a sua comemoração com seus amigos!)

  • Primeiro, eu quero dizer que comemoramos essas datas, muitas vezes, sem saber o porquê. Isso é ruim? Não, não é. Mas nos torna alienados dentro da nossa própria cultura.
  • Segundo, que o homem NÃO pisou na Lua! Foi uma jogada dos Estados Unidos durante a Guerra Fria contra a União Soviética para mostrar para a mesma que esse possuía mais tecnologia, logo, ganharia a “corrida espacial”. Além disso, na guerra entre EUA x URSS o cenário era de medo e rivalidade. Como este louco, Enrique Febbraro, pode ter pensado em um dia do amigo logo nesse cenário? (Essa resposta é de vocês)

Basicamente, é isso. Mas só quero dar umas últimas palavras antes de você fechar meu blog: O dia do amigo não é 20 de julho, seja lá por qual razão, não é 30 de julho, porque a ONU quis assim e não é nenhum outro dia específico. Como podemos delimitar esse dia? É a mesma coisa que delimitarmos o Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia da Avó, Dia Internacional das Mulheres… Eu não discordo de nenhuma dessas datas, nem quero lhe persuadir… Só penso que temos que ter consciência que esses dias, além de comerciais, muitas vezes, tem origem que não conhecemos e tampouco concordamos.

Então, vamos pesquisar mais?

Amigos

Fonte: We heart it.

Um abraço a todos. E viva o dia do amigo.
Que é todos os dias.

Fontes de pesquisa: Wikipédia, O Candelabrado, aulas de História do cursinho: Teorema/RG.

Anúncios

Amar-se em primeiro lugar!

Pensando na Vida e nos últimos fatos que me aconteceram ontem, anteontem – e que também acontecem a cada minuto, pois sou uma “metamorfose ambulante” – pude perceber o verdadeiro valor de se amar SEMPRE. Parece fácil para mim falar isso agora, pois provavelmente não sou alguém com o coração partido (mas, acredite, já tive o meu muitas vezes! E sobrevivi) mas posso dizer que pela minha experiência vale e valerá always se amar.

É que chega um momento em que é necessário tomar uma decisão, ou eles, ou eu, e aí é que se percebe que, “- adeus, galera! Eu quero é ser feliz”. Pois é, não são todos que pensam assim, mas vou dar algumas dicas para você que está se sentindo triste, deprimido, sem vontade de viver *porque ninguém gosta de mim* ficar mais alegre. Vamos lá? Hora de ser feliz!

1. Não desconsidere as opiniões alheias, apenas as compare com as suas e se elas divergirem e você não levar fé simplesmente esqueça.

2. É difícil se amar quando está infeliz com seu corpo, com seu rosto. Mas, pensa bem. Pese na balança o que tem mais importância para si e, sim, viva do seu jeito fucking the system.

3. Perceba que, muitas vezes, você se doa mais que o necessário. Não que precisamos agir como Talião, que pregava olho por olho, dente por dente. Mas po, pera aí. Você se “matando” por alguém e essa pessoa nem aí? Pera aí! Pare tudo e conversem. Não deu certo? Siga! A sua felicidade está em primeiro lugar.

4. Ame-se! Afinal, se você não o fizer, quem fará? Eu gosto de acreditar que temos que fazer tudo que desejamos e, claro, ou infelizmente, respeitando a opinião dos outros. Equívoco aqui: respeitar a opinião dos outros não é deixar de fazer algo porque eles não querem ou não acham certo! Faça tudo o que pode você quiser fazer – dentro dos nossos limites de liberdade no Brasil – e seja muito, mas muito feliz.

5. Viaje. Leia um livro. Mate uma aula. Fuja das regras e da rotina! Fazer o que não gostamos e – pior ainda – fazer coisas sem saber o motivo é horrível. Sempre questione-se, sempre. Só cuidado com a paranoia, haha.

E só para concluir: não coloque muitas expectativas em cima de alguém. Eu sei que é horrível, eu odeio sites que ficam dizendo como agir, mas aqui é só uma dica, se quiser, tente aprender por si mesmo, talvez seja melhor. Outro detalhe aqui: se amar é se aceitar, reconhecer seus erros, viver. Se amar é colocar-se em primeiro lugar, fazer o que tem vontade, viver a SUA Vida.

Por hoje é esse “conhecimento” que venho compartilhar!
Viva, não sobreviva!

Reflexão do dia: Arrepender-se

Fonte: Docedeni - Blogspot.com

Fonte: Docedeni – Blogspot.com

Arrepender-se.

Ao menos uma vez você já se arrependeu de algo. Algo que acredita que tenha feito errado, algo que acredita que tenha feito certo e os outros acharam errado. A real é que o arrependimento é um sentimento que vem de fora para dentro, que nos transforma literalmente. E, pensando nisso agora, percebo que me arrependo, sim, do que fiz, mas que esse “erro” me fez crescer.

É estranho, porque só aprendemos errando mesmo. É estranho.
O arrependimento está ligado também com a imagem que você tem de você mesmo e pode significar que se exige demais. Que não se aceita e que não aceita, principalmente, errar. Acontece que errar é necessário para a mudança (como já falei aqui). No mínimo, curioso.

O arrependimento tem o poder de te fazer sentir culpado, mesmo que você realmente não seja. Eu sei, é horrível tal sensação, mas acontece. Por isso, depois de uma discussão caliente com seu namorado, você se sente o pior dos seres e vai correndo pedir desculpas. Não que você esteja errada em correr atrás, mas deixar rolar, às vezes, não faz mal.

Pois é, acho que todos fazem isso quando se sentem arrependidos. Seria normal ou apenas uma influência, um dogma da sociedade? Vamos pensar?

Eu gosto de acreditar que podemos tudo, que devemos rever nossos atos sempre… Mas que, acima de tudo, arrepender-se não significa submissão. Pode ser, até, que você seja menos orgulhoso ou menos vaidoso do que quem começou a briga e se “render”. Mas se você entender o porque do sentimento de culpa – o arrependimento – e transformá-lo em algo bom, certamente verá com outros olhos o ato de se arrepender.

Por isso, eu não posso condenar quem se arrepende. Eu, mesma, faço muito isso e muitas vezes não: sou radical e orgulhosa até o fim. E isso é de se pensar. Valerá a pena ser assim?

Well, fica a reflexão para quinta-feira! 🙂

Viajar muda vidas

Viajar

Viajar muda vidas, não dá para negar. É good vibe, é energia boa, é felicidade. Não há como viajar, entrar em contato com a natureza, e não se sentir feliz nem que seja por pelo menos um minuto. Ver um monumento histórico, conhecer, aprender, viver a história de uma civilização, e não sentir os pelos se arrepiando, o cérebro querendo conhecer mais, a vida te implorando: vá, viva.

Viajar é uma arte. Certo que sim. Viajar muda vidas, renova valores, descobre e redescobre conceitos. Viajar é tão prazeroso (se não mais) quanto sexo, é algo transcendental, intangível.

Só sentindo, respirando, enxergando… Só assim, se envolvendo com a natureza no emaranhado da floresta, provando sabores, vivendo dores, saboreando os amores, que conseguimos viajar. É lindo! Aliás, não existe um substantivo que possa abranger o significado de viajar.

Por isso, não pense duas vezes. Vá. Siga em frente e VIVA o seu sonho, acorde para a beleza que está na sua cara: a Vida. Não desperdice oportunidades e não pense duas vezes em desistir de algo por uma viagem – se a mesma PUDER se realizar. Viagens incertas devem ser descartadas, arriscar o certo pelo duvidoso nem sempre é a melhor coisa.

Enfim, fica a mensagem: Viaje, viaje, viaje. Viaje pois o dia só tem 24 horas que quando são vividas intensamente tem um significado e uma importância muito maior na nossa vida. VÁ.

——————————————————————————————————-

Um site que indico, com muitas dicas, relatos, roteiros de viagem é o Mochileiros.com. Vale a pena! Um abraço!

Thamires Coelho.