Tempo

Fonte: rollingthroughlifeee.tumblr.com

                     Fonte: rollingthroughlifeee.tumblr.com

Enquanto lá se vão todos, aflitos, ao jogo de futebol, cá estou eu a pensar na vida,  no que escrever, como seguir adiante.

Cá estou eu, sozinha, mas não reclamo: pelo contrário. Me delicio com o silêncio, encontro a mim. Cá estou eu, porque de nada me adianta ir comemorar uma simples partida, eu prefiro agir, em outras palavras, jogar.

E nesse tempo todo, o silêncio me engole e me conheço, observo-me, aprendo a me amar.

O tempo, quando bem aproveitado, serve-nos de inspiração, acaricia nossos sonhos, nossas vontades, nossos textos. E, dessa forma, deixo o tempo me levar… Para que eu siga assim, em silêncio, sozinha ou não, aproveitando-o da melhor maneira possível.

Mudar

“E chega um momento em que você percebe que é muito egoísta, que errou. Aquele momento em que você quer permanecer na ideia de que o mundo gira em torno de você, que a sua opinião é a correta, que enjaular é sinônimo de amor. Enfim, você tem seus motivos. Perceber as consequências e causas dessas suas atitudes é essencial para mudar de vida, fazer tudo mudar e seguir em frente. Com novos vícios, talvez novos erros, mas melhorando-se sempre”.
 Thamires Coelho

Minha estação preferida: Outono-Inverno. Nem mais, nem menos.

Nada contra o verão e a primavera – esta última, eu até venero – mas, cá entre nós, não há nada melhor do que um bom frio, aquele que lhe faz ficar embaixo das cobertas até mais tarde, agarradinho com seu amor só para aquecer o corpo (desculpa para sexo) e que também faz você se vestir da forma mais elegante possível.

Fonte: We heart it.

Fonte: We heart it.

Eu simplesmente amo essa estação. Que delícia. Hoje mesmo, um frio horroroso, pobre dos meus ossos, mas que coisa boa! Adoro ver o efeito da estação mais fria do ano nas pessoas: elas passam a ficar “bem vestidas”, robustas, com os rostos pálidos e sempre fazendo a mesma ação: tremer ou cruzar os braços.

Enfim, é uma estação maravilhosa. Seja o inverno, seja o outono. Li um poema do Quintanilha e do Luis Fernando Veríssimo e aí sim me inspirei. Trouxe o do Veríssimo aqui. O do Eduardo está em link.

As outonais

“As mulheres de verão vem e vão. As outonais não!
As primaveris gostam de frege, as outonais de tons de bege. As invernais são informais.
As outonais, embora vez ou outra, deixem você hibernar sobre o seu pulôver, fazendo barulhos de ursos, às vezes até topam fazer coisas com chocolate na cama.
Cuidado com as mulheres de meia estação! São mulheres de meia-calça e meia-paixão!
A melhor definição para uma mulher outonal é torneira moderna, dessas lisas em que nada indicam a temperatura da água.Nem F nem Q, nem H de hot, nem C de could, nem pontinho vermelho ou azul.
Ela pode vir quente, quando você a quer fria ou fria quando você a quer pelando.Você sabe como é? Você sabe como é!
As outonais têm um jeito de fazer você se sentir o primeiro dos homens. Um pré-macaco, um organismo primário.
Por isso só se aproxime delas se for chamado e
com muito, mas muito cuidado.”

(Luis Fernando Veríssimo, do livro “Orgias)

Então, o que acharam? Comentem a opinião de vocês. Eu achei bem interessante ser uma mulher outonal (risos).

Tenham todos uma boa noite e aproveitem o outono-inverno!
Um abraço.
Thamires Coelho.

Algumas coisas

Algumas coisas vêm e te arrastam. Não, tu não tens querer. Elas simplesmente te levam a um lugar que tu não queres ir, a uma hora indesejável também. Não necessariamente elas são sempre ruins, mas na maioria das vezes sim.

Algumas coisas…

Algumas coisas tu não entendes – e também não pergunta o porquê – “não me interessa, mesmo”. E aí vem a alienação.

Algumas coisas…

Algumas coisas simples, um olhar, um beijo, um sorriso podem melhorar teu dia certamente. Algumas coisas tão pequenas que não conseguimos ver – os átomos; ou, melhor, nosso DNA.

Algumas coisas tu só aprendes vivendo, só ganha estudando, só conquista disputando.

Algumas coisas…

Algumas coisas simples.
Alguma coisa é a Vida. Alguma coisa é viver.