Gentileza gera gentileza

Gentileza gera gentileza. Só não percebe isso, quem não quer!

Gentileza

Eu estava procurando coisas interessantes para ler no site MdeMulher e então parti para a sessão de Bem-Estar e li uma matéria que chamou minha atenção: 44 gestos de gentileza. Depois de ter lido e raciocinado sobre a matéria, eu fiquei pensando em como nós, seres humanos, somos egoístas. E, sinceramente, espero que mudemos, que nos tornemos melhores. Não é bem a “olho por olho” que as coisas funcionam.

Gentileza

Sim, nós podemos ajudar alguém que está carregando sacolas. Sim, nós podemos elogiar alguém, só para este sentir-se querido, amado, importante. Sim, nós podemos salvar o cachorro que caiu no meio do esgoto e, sim, nós podemos nos doar um pouco aos outros antes de pensarmos em nós mesmos.
Eu sei, é complicado simplesmente começar a agir dessa forma gentil de um dia para o outro, mas as coisas não precisam ser radicais. E, com certeza, sendo gentil você se sentirá quase um humanitário, contribuindo para a felicidade alheia e para uma vida mais harmônica em sociedade.
Sabe, às vezes, só de pensar em ajudar os outros já ganhamos nossa recompensa. Mas isso não significa que sendo gentil você deva esperar algo em troca. É mais que isso. Chega a ser um estado espiritual até. Sendo gentis, nós simplesmente não sabemos o que Bem que podemos fazer a um ser, porém sabemos que estamos o fazendo. E de boa vontade.

Seja gentil!

Eu realmente admiro uma pessoa assim. E aspiro por isso também. É ótimo ver aqueles olhos bondosos, sempre prontos, estendendo um pouco de gentileza. Aumentando a corrente. Essa corrente boa e prazerosa ao mesmo tempo, que satisfaz tanto quem recebe uma gentileza quanto quem a pratica. Sei que essa palavra em nosso “mundo moderno” está quase extinta. E é quase um horror quando um homem se levanta e abre a porta do carro para deixar sua mulher sair, ou quando um amigo acompanha o outro até a porta e corre na frente para abrí-la. Mas precisamos exercitar isso. Gentileza está além de todas as coisas: é amar sem preconceitos, não julgar os outros sem conhecê-los bem – ou melhor – NÃO JULGÁ-LOS, é elogiar as pessoas, acreditar no potencial dos outros e ser humilde. Gentileza é você querer agradar alguém que ame sem esperar nada, ou simplesmente agradar um desconhecido na rua. Gentileza gera gentileza. Vamos nos esforçar e praticar isso, vamos ser mais felizes!

Espero que leiam a ótima matéria da MdeMulher! Um abraço a todos, sejamos gentis!

Anúncios

Fim.

Eu não estou como eu imaginei que eu ia ficar. Eu me sinto bem até. Acho que eu imaginei demais. Enfim, acabou, eu ainda quero beijar seu pescoço e te acariciar, eu ainda quero te ter do meu lado só para mim, mas nós somos incompatíveis. Eu me tornei alguém que eu realmente não sou: mudei pelo relacionamento, deixei de me divertir muitas vezes, me tornei quase, como posso dizer?, uma submissa a ti. Mas eu sei, de verdade, que tu não tem culpa disso. Eu me doei demais, eu que te amei demais e esqueci de mim. Na verdade, eu sempre tive problemas de auto-estima, você sabe. Mas eu daria tudo para que fosse diferente, que não terminasse. Só que terminou.
Eu juro, tentei de tudo pra dar certo, você não cedeu e arrastamos o relacionamento. Quando será que esfriamos? Dizem que, a paixão não dura muito e, depois desse período, ou acaba ou vira amor. Será que isso aconteceu conosco? Não sei.
Só sei que agora estamos longe um do outro, separados pela distância e o sentimento. Fim. Precisa dizer mais algo? Eu não sei, acho que a dor está entorpecida no coração ainda, por isso não a sinto. Ou, simplesmente, eu chorei tudo que tinha que chorar dias antes e, agora eu só quero viver minha Vida e dar valor a mim, me amar. Isso não quer dizer que eu não pense em como teu olhar me enfeitiçava ou como eu  adorava como nos beijávamos. Já passou e sempre vou pensar em você de uma forma boa. Espero que tenhas boas lembranças de mim, também, porque conversamos e percebemos que não daríamos mais certo, lembra?

O Carnaval

Então, é Carnaval. A época em que o sexo está em alta e que o beijo na boca está liberado! (Há quem goste de viajar, fugir do vuco-vuco humano e aproveitar de outras formas!)

Carnaval

Blocos, escolas, famílias e pessoas de todas as idades, religiões e filosofias se reúnem nessa época tão humana, tão carnal, onde uma energia poderosa é emanada. No geral e no princípio de tudo – creio eu – a ideia não era encher a cara e comer todas (desculpem-me pelo palavreado vulgar), mas sim festejar! Vejamos alguns conceitos de Carnaval retirados do Wikipedia:

Carnaval é uma festa que se originou na Grécia (quem diria, hein!?) em meados dos anos 600 a 520 a.C. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica em 590 d.C. O período do Carnaval era marcado pelo “adeus à carne” ou do latim “carne vale” dando origem ao termo “Carnaval“.”

“A festa carnavalesca surgiu a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra “Carnaval” está, desse modo, relacionada com a ideia de deleite dos prazeres da carne marcado pela expressão “carnis valles“, sendo que “carnis” em latim significa carne e “valles” significa prazeres.”

Carnaval

Como podemos observar, o Carnaval de hoje em dia é uma adaptação feita pela Igreja Católica. Porque, então, essa energia tão humana atinge até mesmo pessoas de outras religiões? Aqui no Brasil, por exemplo, é a segunda festa que tem maior repercussão, perdendo apenas para o Réveillon. Refletindo sobre, consigo perceber o quanto a Igreja Católica influencia o povo brasileiro, apesar de existirem, atualmente, n religiões diferentes aqui no Brasil. É claro que é difícil resistir as baterias, que muitas vezes acabam embalando até mesmo aquelas pessoas que não gostam de um batuque.

Bloco Carnavalesco

Resumindo: O Carnaval é, então,  uma data que antecede um feriado religioso, católico (Semana Santa). As pessoas já não pensam mais nisso, só querem beber e farrear, encher a cara e ficar com todas/todos. Eu não acho isso num geral uma coisa ruim – mas acabei me desgostando do Carnaval. Motivo: coisas exageradas demais, nunca tendem a dar resultados bons. Não estou dizendo que sou contra e que sou daquele tipo que sai fazendo protesto contra o Carnaval. É lindo ver o povo animado, extravasando e divertindo-se de forma saudável. Eu só acho que por conta dos exagerados, tudo acaba perdendo brilho. E, ah, como sempre, as pessoas esquecem que é uma data católica, ou seja: mais uma forma de “implantar” a religião no povo. Mas é só uma opinião. Aproveitem o Carnaval com responsabilidade: usem preservativos, divirtam-se e sejam felizes. Só tenham consciência disso. Afinal, tudo fica muito mais claro quando temos consciência do que estamos fazendo.

Abraços e até a próxima!!
Thamires.

Que tal um jantar grego?

Hoje, pesquisando sobre viagens no Rio Grande do Sul, no blog da Katia Bonfadini (Casos e Coisas da Bonfa), eu me deparei com algo LINDO, MAS LINDO DE MORRER: Um jantar grego! Quem me conhece sabe que morro de amores pela Grécia e eu AMEI o que a Katia fez, aliás, não tem como não AMAR o blog dela, mulheres!

Confiram no link abaixo, o post em que ela mostra como organizou o  jantar:
O Jantar Grego

Nesse post aqui, ela também demonstra como fez os detalhes da decoração:
Preparativos para o Jantar Grego

Nem preciso dizer que fiquei com uma imensa vontade de fazer aqui em casa, né?

Jantar Grego
E aí,  depois dessas dicas da Katia, você também quer ter um jantar dos deuses? 😉

Destino: Serra Gaúcha!

“Você já sentiu aquela imensa vontade de fazer uma viagem, mas não sabia por onde começar? Aquela viagem que mistura emoção, aventura, momentos incríveis e lugares exóticos?

Cânion Fortaleza

Cânion Fortaleza – Cambará do Sul, RS.

É para esse caminho que estou querendo ir, para a Serra Gaúcha. Eu nunca viajei sozinha. Confesso que alguns ainda me consideram um bebê e despreparada para tal, porém eu não acho. Óbvio, sua teimosa. Não, não é isso não. Acontece que para algumas pessoas viajar é apenas conhecer pontos turísticos, pagar preços caríssimos e fazer tudo que a agência de viagem diz. Não que eu seja rebelde, mas meu perfil não está para turista, e sim para viajante.

Resignada, decidi explorar primeiro meu Estado – o coração de tudo. Após isso, aos poucos, vou dando os primeiros passos. Estou planejando ainda. Não sei se vou nesse, ou no ano que vem, só sei que meu espírito de viajante me empurra para lá. Eu preciso. É quase  como o ar que eu respiro. Alguns não entendem.

Como resistir a essa beleza? Cachoeira do Caracol - Canela, RS.

Como resistir a essa beleza? Cachoeira do Caracol – Canela, RS.

Planejar e planejar, não deixo de ficar ligada nos relatos do site mais completo sobre viagem do Brasil: o Mochileiros.com. No início eu não compreendia, mas utilizando-o, você, mochileiro, vai se encontrar.

Lago Negro - Gramado, RS.

Lago Negro – Gramado, RS.

Viajar é um sonho e seria saudável que todos nós pudéssemos, um dia, viajar para onde desejamos.
Espero ter aguçado a sua vontade de viajar.

Um abraço,
Thamires C.

Enfim, férias!

Hoje estou particularmente feliz! Último dia de exame e, apesar de estar um pouco insegura, terei férias escolares.
Sei que continuarei trabalhando, mas é um alívio. Finalmente.

Sinto um verdadeiro sentimento de liberdade, porém relembro-me com uma exagerada dor que ainda tenho mais um ano letivo pela frente – atrasado pela greve dos professores federais. Não os culpo. Apesar de acreditar que foram um pouco egoístas, estavam “lutando” por seus direitos.

Viva cada momento, aproveite a "liberdade".

Viva cada momento, aproveite a “liberdade”.

Mas, ahhhh… Férias. Férias escolares. Praia e dias e dias na frente do computador, jogando um jogo “RPG” que para uns é considerado um lixo. Faz parte.
Mas continuo imensamente feliz.

Finalmente, finalmente, finalmente.
Férias, sua mimosa.

Poderei tirar as fotos da minha amada cidade, que no verão se torna fantasma, principalmente nos fins de semana. É assustadora e bela ao mesmo tempo!
Não tem como não sorrir.

Em breve postarei as fotos aqui ressaltando as melhoras coisas de Rio Grande.
Boas férias!