Tempo Perdido

Tenho estado com a música Tempo Perdido da Legião Urbana na cabeça. Desde o dia em que vi o filme “O Homem do Futuro”, onde o Wagner Moura e a Aline Moraes incorporados em seus personagens cantam essa música, eu me identifiquei muito e passei a levar essa música no coração. Certo dia, quando comentei essa música com minha irmã, ela começou a procurar no CifraClub como tocar e não é que tocou?

Esse fato me emocionou muito. TANTO, que passei a refletir sobre  a música e ela tem tanto a ver com a nossa relação, minha e dela, que chorei. Chorei copiosamente, porque, quando tu te identificas com algo — uma música, no meu caso — e isso faz tanto sentido na tua vida, parece que dá um estalo lá no fundo, e tu acordas.

Pois é. Eu acordei. E o nome Tempo Perdido dessa post não é em vão. Fico me questionando quanto tempo eu perdi e não agi, quando tempo as pessoas perdem e não o valorizam . É, é verdade, que “quando acordo não tenho mais o tempo que passou“. Mas, sim, “tenho muito tempo“. Não sei direito o porquê, mas faz todo o sentido.

Ainda, para completar a música, na última estrofe da mesma diz que “nem foi tempo perdido… Somos tão jovens“. E aí, gente, é que vem o estalo maior: apesar de todo o “tempo perdido” — o tempo não aproveitado, ou, se quer sentido — ainda temos tempo. Somos tão jovens. Tão jovens para viver, tão jovens para tentar, jovens para insistir.

Essa música me marcou muito. Principalmente por encaixar-se perfeitamente na minha vida. Fico muito feliz por tê-la conhecido, mais ainda por minha irmã ter aprendido a tocá-la para mim. Enfim, a banda Legião Urbana realmente sabe fazer um trabalho muito bom, crítico e profundo simultaneamente. Falando nisso, estou morrendo de curiosidade de ver o filme Somos Tão Jovens, que acho que fala sobre a formação da banda e um pouco da vida do Renato Russo. Deve ser muito legal também! Recomendo!

Um abraço a todos, ótima semana, pessoal.

Thamires Coelho, 18 anos, Rio Grande do Sul. Eterna estudante da Vida, caçadora de conhecimento, idealista, impulsiva, apaixonada e desorganizada. Adoro escrever e dar meu pitaco na conversa dos amigos! No twitter, divago em @thamirescoelho_.